Sim, nós sentimos sono!

25 03 2009

Estávamos eu e Naná discutindo o fato de sentirmos muito sono o tempo inteiro de nossas vidas. Como me lembro de ter escutado algo de leve no Fantástico sobre isso (sim, eu estava cochilando na hora), fomos até o site do programa que oferece um teste para saber se “você realmente dorme bem” (clique aqui para fazer o teste).

Fizemos o teste e… 

  ::*:: Marcela ::*:: diz:

“Se você respondeu SIM para 12, 13 ou 14 perguntas: débito de sono grave com comprometimento de qualidade de vida. Tendência a lapsos de memória, erros e acidentes”

[c=6]__Naná__Hexaaaaaaaa!    [/c] diz:

“Se você respondeu SIM para 9, 10 ou 11 perguntas: débito de sono moderado com possibilidade de erros e omissões sérias. Há uma tendência para falta de coordenação, alteração de humor, falta de motivação, depressão e irritabilidade”

O meu deu isso!

::*:: Marcela ::*:: diz:

O meu deu 13 “sims”

[c=6]__Naná__Hexaaaaaaaa!    [/c] diz:

11

vc ta pior que eu

kakakaka

::*:: Marcela ::*:: diz:

afe

[c=6]__Naná__Hexaaaaaaaa!    [/c] diz:

ql o medico do sono?

::*:: Marcela ::*:: diz:

tem q ir no instituto do sono

ai vc vai la, dorme e eles te olham!

kkkkkkkk

[c=6]__Naná__Hexaaaaaaaa!    [/c] diz:

nossa

o paraiso neh

vc vai pra dormir e ainda leva atestado pra empresa





Diálogos de um sábado a noite

23 03 2009

– Olha Ma, o taxista da briga lá de tras.
– Ué, como você sabe que era esse cara?
– Era sim Ma. Era um taxi…branco.
– Ah! Você jura?

Dã!





Enquete

20 03 2009

Passeando pelos blogs como sempre faço pela manhã, me deparei com posts que me remeteram à época do colégio. Não sei se isso era hábito apenas no meu tempo, década de 90 e tal. E se sou muito velha por isso. Mas, pelo menos enquanto eu cursava 4ª ou 5ª série do ensino fundamental era muito comum as meninas possuírem um caderno intitulado “Enquete”. Algumas escreviam “Inquete” mas aí vai do analfabetismo de cada um.

Neste caderno, em cada página, havia uma pergunta. Dessas que não servem para nada nem para ninguém. Qual o seu nome? Quanto anos você tem? O que você acha da dona da enquete? Com quem você fugiria para uma ilha deserta? Deixe uma mensagem para a dona da enquete! E essas perguntas típicas de pré-adolescentes.

E era mais legal quem tinha o caderno mais completo. Quem tinha mais gente disputando sua enquete. Virar a página então, UAU, era o máximo!

 

Eu tive algumas “Enquetes” dessa. Me lembro de uma. Assim como me lembro de sentir muita raiva quando rasuravam o meu caderno (eu tinha vontade de entregar um liquid paper e uma borracha junto com a “Enquete” pra quem errasse arrumar e ficar bonito *). Infelizmente ela se perdeu no tempo e no espaço. Não tenho a mínima idéia de onde foi parar.

 

Mas, em homenagem a esses tempos de escola, vou copiar o post que me fez lembrar de tudo isso.

 

* Eu era (ainda sou um pouco, ok?) nerd e perfeccionista. Dessas que ODEIAM rasuras no caderno. Muitas vezes, quando eu errava alguma tarefa, eu jogava aquela folha fora e fazia de novo pra não ter rasuras. Ah, a borracha, citada acima, é pra passar depois do liquid paper. Assim a página fica lisinha de novo, e não com aquela grosseria do branco do corretivo quando já está endurecendo, velho.

 

Mode 12 anos on

 

Onde está seu celular? No bolso da bolsa!

E o amado? O Batista? Não sei, sumiu da mídia!

Cor do cabelo? Castanho…claro…meio loira! Não! Loira nãããão!

Sua mãe? É mulher e vai bem, obrigada!

Seu pai? É homem e vai bem também, obrigada!

Seus irmãos? Sem irmãos. Só uma irmã, que é mulher e vai bem, obrigada!

Seu filho? Não tenho ainda.

O que mais gosta de fazer? Estar com os amigos.

O que você sonhou na noite passada? Nossa, sem chance de eu recordar.

Onde você está? Responderei com uma canção. “Money, que é good nóis num have. Se nóis havasse nóis num tava aqui workando…”

Onde você gostaria de estar agora? Agora? As 7h30 da manhã? Na minha cama!

Onde você gostaria de estar daqui a seis anos? Depois que eu sair da minha cama (veja resposta acima) eu penso nisso…

Onde você estava na noite passada? Em casa! Milagre!

O que você não é? Boba.

O que você é? Muito boba.

Objeto do desejo? Um porsche.

O que vai comprar hoje? Água.

Qual sua última compra? Gasolina.

A última coisa que você fez? Digitei a resposta acima.

O que você está usando? Calça jeans, blusinha preta, sandália e acessórios.

Na TV? Friends!

Seu cachorro? Peste.

Seu computador? Necessário.

Seu humor? Variável.

Com saudades de alguém? Sempre.

Seu carro? Só tem duas calotas. As outras duas foram abduzidas.

Perfume que está usando? Victoria Secrets.

Última coisa que comeu? Bisnaguinha.

Fome de quê? Comida mexicana!

Preguiça de? Ter que discutir.

Próxima coisa que pretende comprar? Duas calotas!

Seu verão? Quente.

Ama alguém? Muito, a vida é amor.

Quando foi a última vez que deu uma gargalhada? Há 10 minutos.

Quando chorou pela última vez? Há dois domingos.

 

Mode 12 anos off





Perdão

14 03 2009

Quando alguém te magoa você é capaz de perdoar e recomeçar, como se nada tivesse acontecido? Eu sou assim. Eu sofro, fico triste e decepcionada. Choro. Mas um pedido de desculpas, com sinceridade, olho no olho, me faz esquecer o momento da mágoa e substituí-lo por todos os outros momentos bons que passei ao lado daquela pessoa.

Sei que tem muita gente por aí que me julga “otária” por sempre perdoar, desculpar. E não me importo. Para mim, guardar rancor, tristeza, decepção no coração só faz você se tornar uma pessoa mais amarga, mais incrédula com a vida.

Sentimento ruim só gera sentimento ruim. Acreditar no arrependimento dos outros! Por que não?

Infelizmente nem tudo acontece como a gente sonha. Como a gente espera. E mesmo perdoando e retomando a vida, com as mágoas e chateações aquele sentimento bom vai morrendo. Porque o ditado “quem fala esquece, mas quem escuta não esquece jamais” também tem um pouco de veracidade. Só depende da gente fortalecer o sentimento bom, se valer a pena.

Eu prefiro pensar que vale. SEMPRE. E prefiro resolver as coisas da melhor maneira possível, para que fique bom para todos.

Eu prefiro ter boa convivência. E prefiro perdoar e seguir em frente. Deixar que o tempo me mostre o que fazer. Às vezes o afastamento acontece de forma espontânea. Às vezes o inverso.

E, se for o correto para o momento, a saudade bate e a reaproximação se torna inevitável. Mas, para isso, você precisa ter perdoado de coração. Precisa estar aberta a esta reaproximação. Precisa estar com o coração e a consciência tranqüilos. Se isso tiver de acontecer, vai acontecer. Não adianta pressão, investigação, correr atrás.

Nada como o tempo para mostrar para as pessoas o que elas precisam e querem para sua vida. A falta, a saudade, com o orgulho dominado, reaproximam. E é assim que tem que ser…





Cantoria via MSN

3 03 2009

::*:: Marcela ::*:: diz:

sabe oq ta tocando aqui?

ô

ôôô

ôôôô

ôôô

kkkk

[c=6]__Naná__Hexaaaaaaaa!    [/c] diz:

marroon 5?

::*:: Marcela ::*:: diz:

aeeee

akakakak

[c=6]__Naná__Hexaaaaaaaa!    [/c] diz:

hauhauahuahhaha

to boa nisso

::*:: Marcela ::*:: diz:

acho que isso vai pro blog

akakakak





Olha aqui…

3 03 2009

Começar o dia andando de guincho não é muito legal né?
E ter de começar o dia indo ao dentista bem cedinho?? Afe, ninguém merece!
E demorar três horas pra chegar ao trabalho? Eu hein!

Agora imagine começar o dia as 6h da manhã, indo de GUINCHO ao DENTISTA e depois demorar TRÊS HORAS pra chegar ao trabalho?

Pense antes de falar comigo hoje…