FIM DE FEIRA

26 02 2009

Bom, o Carnaval acabou. Depois de cinco dias sem pensar no trabalho, sem stress e sem irritação, tenho apenas um comentário a fazer: Eu não fui à Serra da Cantareira, não pedalei, não fui ao Simba Safari e não joguei Paintball. Mas eu posso afirmar que meu feriado foi ÓTIMO. A companhia é o que conta. SEMPRE. (faltou alguém nesse feriado!) Beijomeliga

Anúncios




Carnaval – o que fazer?

18 02 2009

Não adianta. O Carnaval está chegando e todos já se planejam para esses cinco dias de folia (quatro dias e meio para alguns).

Muitos, mas muuuitos mesmo, vão pra praia. E muitos, mas muuuitos mesmo, vão pro litoral sul de São Paulo. Eu tô fora.

Enfrentar trânsito, calor insuportável, preços abomináveis, filas pra comprar água, falta de água, fila pra comprar pão, falta de pão! Praia suja (por que o povo brasileiro é porco, não é possível conseguir acumular tanto lixo). Multidões querendo um lugar ao sol. Ou um lugar pra “fincar” o guarda-sol.

Calangos pagando de gatinhos com o som do carro no último volume tocando FUNK e as piriguetes dançando de bikini até o chão ao lado? Visão do inferno, eu hein! Nossa, eu não tenho o mínimo de paciência pra isso. E, mais uma vez, estou praticamente decidida a ficar em São Paulo mesmo.

Já verifiquei as pessoas que devem ficar por aqui. Tem uma galerinha até que razoável. Acho que dá pra agitar um pouquinho. Uns vão trabalhar, outros estão em “crise financeira”, outros simplesmente querem ficar.

Então, bora programar algumas coisas pra fazer. Andei xeretando a Internet e pensei em algumas opções pra minha galerinha. Vamos lá!

1 – Ver os meninos tocarem, só pra não perder o costume. Só que, dessa vez, ao invés de ir pro Mc Donalds depois, irmos no Mercadão comer lanche de mortadela (eu não gosto de mortadela, mas lá tem uma infinidade de coisas pra comer)!
Dica: Clique aqui e ouça a música do I.S.3. Boa música e diversão. Quem quiser, é só comparecer no sábado no Paçai Bar (Rua Coelho Lisboa, 425 – Tatuapé). Vão me encontrar por lá com toda a certeza!

2 – Fazer um passeio natureba. Ir até a Serra da Cantareira dar um rolê pelas cachoeiras. Custa uma miséria (R$2 – isso mesmo, DOIS REAIS) e dá pra tirar umas fotos legais. Adoro tirar fotos.
Dica: Clique aqui e veja dicas publicadas pelo G1. E use repelente!!!

3 – Sair pra jogar PaintBall. Correria e diversão garantida. E manchas roxas também, mas aí uma Hirudoid resolve! Tenho certeza disso. E não é tão caro, já que dá pra comprar (em alguns lugares) 200 bolotas por 35 reais.
Fator importante: Eu vou escolher os times!
Dica: Joga no google beim e procura o mais perto pra você.

4 – Pedalar no Parque do Ibirapuera. Quem já tem uma bike (eu vendi a minha pra ir pra balada quando eu tinha 17 anos. Não me zoem) a leva. Quem não tem pode alugar uma por lá mesmo. Antigamente dava pra se divertir com aquelas bicicletas coletivas. Hoje não rola mais isso. Mas é legal de qualquer maneira. Ah, algumas estações de metrô também alugam bicicletas.
Dica: Veja aqui as estações de metrô citadas acima e veja aqui o Parque do Ibirapuera.

5 – Ir ao Simba Safari. Varios animais para alimentar e dar risada. É uma pena que agora a “ala” dos macacos está mais controlada. Agora nem tem graça pois eles não permitem que os macacos pulem no carro, arranquem as antenas e placas e enfiem as mãos pelo vidro pra bater na cara dos visitantes (ler Fator Importante).
Fator importante: Temos que ir em um carro quatro portas. Contanto que não seja o meu, tá valendo!
Dica: Acordar cedo pois os animais comem cedo. Se você chegar e eles já tiverem alimentados, nem vão olhar na sua cara. Ah, não deixe de alimentar o camelo. É nojento, mas é divertido! E muito cuidado com os animais bicudos! E cuidado com o bezerro das trevas! Béééér!

6 – Ir para o bar na sexta-feira, encher a cara, voltar de metrô pra casa, dormir até as 14h, ir para o bar, encher a cara, voltar de metro pra casa, dormir até as 15h de domingo. Acordar, ir para o bar. Encher a cara, voltar de taxi pra casa, dormir até as 12h do dia seguinte. Acordar, ir para o bar…
Fator importante: Se beber, não dirija!
Dica: Escolha um bar barato, ou a falência se instala. E troque o seu coração por um fígado!

Obs: Ir ao Sambódromo não faz parte dos planos. Primeiro por que cansa, segundo por que é caro, terceiro por que é cheio, quarto por que não compensa e quinto por que eu já fui ano passado e minha cota de Sambódromo está esgotada por cinco anos.

Finalizando. Eu só sei que tendo amigos por aqui, fica fácil se divertir. Com gente legal por perto, a alegria se instala em qualquer lugar. Por isso eu não me preocupo. Sei que tenho pessoas bacanas ao meu lado e que não vao me abandonar neste momento de folia! Beijomeliga!





Sexta-feira treze…

13 02 2009

Eta sexta-feira treze mais sem graça essa minha. Eu to trabalhando, mas a vontade me falta. Sinto muito sono nessa vida. E to com a cabeça doendo por que nesse lugar tem um ar condicionado do capeta.

Aqui eu me sinto um tanto quanto isolada do mundo. Não consigo pagar as minhas contas, por que o site do banco é bloqueado. Não consigo falar com meus amigos, por que o msn é bloqueado (isso não inclui a Nana, já que são 16h e já trocamos 67 e-mails). Não consigo ler o Eneaotil da Lelê, por que é bloqueado. Não consigo acessar o Manual do Cafajeste, bloqueado. Não posso ir na padaria comer um doce por que a padaria que tem aqui, praticamente debaixo do Minhocão, não tem doces com a cara muito boa. Não posso ouvir música, por que vão achar ruim. Não posso fazer ligações particulares, não posso marcar depilação, não posso xingar, nem rir alto. É uma chatice (tirando o fato de ser perto de casa, como comentado posts abaixo).

Então estou aqui, contando os minutos para as 18h.

Eu já li todas as papagaiadas da Internet, já me abismei com a notícia de que a garota grávida de gêmeas que foi atacada por neo-nazistas não estava grávida e pode ter se automutilado (parada para checar se automutilado tem ou não hifen e segundo o G1 não tem), já planejei todo o meu final de semana, já me comuniquei com quem dava, já falei com a minha mãe doze vezes, já troquei 10 mensagens de texto via celular, já decidi e já escolhi o aparelho para 2 chips que quero comprar, já vi o caminho que terei que fazer amanhã para chegar até a casa verde, já fui ao banco tirar o dinheiro que devo para minha irmã, já almocei em um lugar térrivel, já escovei os dentes, passei fio dental, listerine. Já fui ao banheiro dez vezes reprender o cabelo. Já li todos os meus e-mails e já apertei aproximadamente 1.600 vezes o refresh pra ver se chegou algo.

Ai, alguém me ajuda pelo amor de Deus!





Quem é o autô?

13 02 2009

A gente recebe muito lixo por e-mail. E piada repetida então? Nossa, recebo duzentas por dia. A gente também recebe muito texto de ciclano como se fosse de fulano.

Luis Fernando Veríssimo, Arnaldo Jabor… recebo todos os dias textos como se fossem de  autoria deles. Mas sabemos que nem todos são. Hoje estou sem tempo de checar se o texto abaixo é mesmo do Jabor. Mas sendo ou não, eu gostei. POr isso segue!

——————————————-

EU TE AMO NÃO DIZ TUDO

Você sabe que é amado(a) porque lhe disseram isso?
A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida,
Que zela pela sua felicidade,
Que se preocupa quando as coisas não estão dando certo,
Que se coloca a postos para ouvir suas dúvidas,
E que dá uma sacudida em você quando for preciso.

Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás,
É ver como ele(a) fica triste quando você está triste,
E como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d’água.

Sente-se amado aquele que não vê transformada a mágoa em munição na hora da discussão.

Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.

Aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.

Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é,
Sem inventar um personagem para a relação,
Pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.

Sente-se amado quem não ofega, mas suspira;
Quem não levanta a voz, mas fala;
Quem não concorda, mas escuta.

Agora, sente-se e escute: Eu te amo não diz tudo!





O direito de ir e vir…

11 02 2009

Como muitos sabem, eu trabalho longe, mas muito longe, de casa. Percorro cerca de 60 quilômetros por dia entre idas e vindas. Perco, muitas vezes, mais de três preciosas horas dentro do carro a cada dia. Gasto mais de um tanque de combustível por semana.

Mas, durante todo o mês de fevereiro, minha rotina será alterada. Duas vezes por semana eu ficarei de plantão no cliente. Que um pouco mais perto de casa.

Teoricamente a diferença não é tão exorbitante. Moro na Penha, meu escritório é no Campo Belo, depois do aeroporto de Congonhas, e o cliente na Santa Cecília.

Mas na prática…

Vou para o Campo Belo de carro, levo cerca de 1 hora e meia. De condução demoro MUITO mais (mas logo logo, em 2098, teremos metrô lá perto e aí sim eu vou trabalhar de metrô!). Eu adoro dirigir. Mas isso é muito estressante. Eu já sei decor todos os meus 30 cds (de MP3, ou seja, MUITAS músicas em cada um), já conheço todos os radares da Washington Luis, Moreira Guimarães, Rubem Berta, 23 de maio e Radial Leste, já ganhei duas multas de trânsito, já conheço todos os melhores caminhos, já cochilei no volante e derrubei um cone da faixa reversível, já aprendi a fugir dos guardinhas quando ultrapasso o meu horário de rodízio, já, já, já! Já deu!

Reivindicação – Alguma, qualquer uma, empresa de fretado pode POR FAVOR disponibilizar uma linha que vá até o Campo Belo. Eu pago bem! Pelo menos vou assistindo tv, lendo, dormindo…

Resumindo. São 30 quilômetros na ida, 30 quilômetros na volta. Com o trânsito bom, 1h30 na ida e 1h30 na volta (sem chuva, sem acidentes, sem motoqueiros caídos, sem atraso na saída do trabalho, sem ameaça do PCC, sem obras pelo canteiro da 23 de maio ou nos viadutos, sem catorze mil ambulâncias tentando passar, sem a CET fechar faixas para blitz…).

Trabalho das 9h às 18h. Acordo as 6h20, para sair de casa no máximo 7h20. Saio do trabalho às 18h, chego às 19h40. Ufa.

Mas agora eu descobri a maravilha que é perder apenas alguns minutos na ida e na volta do trabalho. Acordo às 7h30, saio de casa às 8h30 e estou no trabalho às 8h55. Saio às 18h e estou em casa às 18h30. Eu AMO o metrô!

Ainda dou sorte de pegar o metro vazio todos os dias. Vou sentada, volto um pouco apertada, mas volto RÁPIDO. Ai, que alegria!

Podem falar mal, falar o que quiserem. Mas eu acho que o metrô de São Paulo é um meio de transporte excelente (caro, mas excelente). O que estraga, para variar, são as pessoas. Se cada um soubesse respeitar o espaço do outro (ou a falta de espaço do outro), seria tão mais tranqüilo. Mas, hoje em dia, as pessoas encaram o ato de pegar o metrô como um ato de guerra.

A impressão que eu tenho quando chego ao Brás (e eu to ali no cantinho, sentadinha, quietinha, com meu fonezinho de ouvido e meu livrinho) é que as pessoas que estão dentro do metrô são “os norte-americanos” e as que estão do lado de fora “os japoneses”. E quando a porta se abre, começa a batalha de Pearl Harbor. Os que estão dentro tentam impedir a entrada dos que estão fora, enquanto os de fora atacam com unhas e dentes para entrar (adendo – unhas e dentes não é uma metáfora. Certa vez uma mulher tacou a denta no braço de um cara que a proibia de entrar).

É uma situação constrangedora.

Não pensem que eu descobri as “maravilhas e desgraças” do metrô agora. Eu sempre andei de condução para trabalhar. E sempre trabalhei longe. Paulista, Pinheiros, Lapa, Perdizes. E por isso eu tenho N histórias metroviárias para contar. Já dei muita risada, já xinguei muita gente, já passei mal (mas NUNCA caí no vão). Quem sabe eu não começo a contar aqui as Aventuras de Marcela no transporte público paulista???

Mas fica pra próxima.
Beijomeliga!





Quase um mês depois…

6 02 2009

Tchananannnnn!

Se o mês de janeiro foi corrido, não quero NEM pensar no mês de fevereiro.
Hoje já é dia 6. Passou muito rápido. Eu nem mandei as fotos do ano novo pro pessoal!!! E já já vou ter de mandar as do Carnaval. A minha sorte é que a Nanah não estava comigo no Ano Novo, senão estaria me infernizando (hehe).

Eu tenho MUITA coisa pra fazer. Tenho dois empregos. Ou melhor, agora tenho três empregos. Mas vou dar conta de todos. Podem ficar tranquilos.

Afinal, dormir é para seres humanos. Ou tô errada?

Bom, tudo isso só para explicar o sumiço de quase um mês. E para dizer que eu vou conseguir colocar em minha rotina as atualizações do Blog.

Assim espero.

Um beijo a todos